Flor do Lácio
BEM VINDO


Cadastre-se em nosso fórum e tenha sua redação corrigida pelos membros.
Flor do Lácio

Espaço criado com intuito de ajudar aos membros produzirem redações de excelência.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Trote,uma prática medieval que desfila nas universidades

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

jujuguns


Membros
Trote uma prática de violência

Muitos estudantes já passaram ou vão passar pelos trotes nas universidades,apesar de ser uma brincadeira,os calouros são humilhados pelos universitários sem nenhuma ética.Essa prática sem escrúpulos tem levado a mortes de muitos jovens.Diante desse panorama,cabe analisar a possível troca desse tipo de brincadeira cruel, que só tem incentivado a violência.
Ignorantemente , para os veteranos o trote não é visto como um ato de violência, fala se até em trote camarada,porém é grotesco pensar dessa forma.Muitos Jovens são obrigados a fazerem o que não querem e são expostos ao ridículo.Infelizmente esse comportamento anti social deveria ser associado como bulling e não como uma diversão.
Outro ponto importante a destacar é a falhas que muitas faculdades tem ao respeito dessa problemática,Algumas proíbem o trote dentro da universidade ,mais a fiscalização do lado de fora deixa a desejar, não há preocupação em impedir essa cenas de covardia.Há um descaso muito grande por parte dessas instituições.
Para agravar a situação, os jovens agressores não são punidos,isso porque as pessoas agredidas se restringem a abrirem processos contra estes.Tal fato tem permitido novas vitimas,que sofrem com a prática cada vez mais assustadoras desse grupo.
É inaceitável ,a justificação do trote. Torna se evidente portanto, a necessidade de punição e fiscalização contra esse hábito. A violência não pode ser justificada e sim combatida.Com a pressão da sociedade esse quadro negro poderá ser revertido sem mais destruição de vidas.

Ver perfil do usuário

evair

avatar
Membros
Oi Juju, fã dos guns, aí sim hein?! =)
Vou te dar algumas dicas nessa redação, tudo bem? Depois da correção tenta refazê-la, então, posta novamente nesse tópico. Esse procedimento impossibilita a criação de vários tópicos para uma mesma redação, além disso, facilita a comparação entre as duas, que por sua vez auxilia na produção de outros usuários. Belezinha?

Algumas considerações iniciais:

1º) Em uma análise superficial o pilar mais frágil da sua redação é a argumentação. Ela está fraca, e por vezes insustentável. Embora, alguns argumentos - que destrincharei mais adiante- são fatos indiscutíveis, eles estão mal articulados e desenvolvidos.

2º) Uma dica: Faça um plano de redação. Como se faz um? Grosseiramente: cada parágrafo deve ser iniciado por um tópico frasal, este deve ser desenvolvido ao máximo nos períodos seguintes, sempre de forma coesa, coerente e progressiva. Cada parágrafo deve estar ligado, se não sintaticamente, semanticamente, naquele batido esquema aprendido na escola: parágrafo introdutório seguido dos argumentativos e o de conclusão fechando a redação.

Eu inverti um pouco a ordem da somatória: coloquei a solução antes do problema. Porém, agora com essa noção de estrutura textual você poderá visualizar claramente "os porquês" dos problemas que evidenciarei. Tudo bem?


jujuguns escreveu:Trote uma prática de violência

Muitos estudantes já passaram ou vão passar pelos trotes nas universidades, apesar de ser uma brincadeira (esse é um contra-argumento, pois o autor está afirmando ser uma brincadeira, ou seja, essa relação de inofensividade x trote, que vai contra a sua argumentação, é tida como sua e não como pensamento dos veteranos. Percebe? O uso do conectivo está equivocado, talvez, fosse melhor: "muitas vezes tidos como brincadeiras", "brincadeira segundo os veteranos" etc.), os calouros são humilhados pelos universitários sem nenhuma ética (Ambiguidade: os veteranos são sem ética ou a atitude é sem ética? Passando para a forma ativa a frase fica mais clara: i) Os veteranos sem ética humilham os calouros, ii) Os veteranos humilham sem ética os calouros. Acho que...O ato de humilhar já é uma ação sem ética, não é mesmo? Pensando eu cá, poder-se-ia concluir que a primeira forma foi a sua intenção, e aí não haveria erro, contudo, eu mudaria só pra não deixar margem de dúvida. Aqui foi uma sugestão). [Após, o primeiro ponto final conclui-se terminado o tópico frasal, que será desenvolvido a seguir] Essa prática sem escrúpulos tem levado a mortes de muitos jovens .Diante desse panorama,cabe analisar a possível troca desse tipo de brincadeira (Adicione aspas se quiser manter essa palavra, pois aí indicaria uma ironia, o que seria mais indicado no contexto) cruel, que só tem incentivado à violência (Observe: o Trote é a catálise da violência urbana, ou ele é o fruto da violência impregnada - até mesmo inconscientemente - nos jovens? eu iria pelo segundo caminho, fugiria do "comum" e teria muita base para sustentar minha tese) [ Uma coisa interessante: no primeiro parágrafo: inicia-se com um tópico frasal e termina com a tese, isso no modelo "clássico e comportado". Nessa lógica sua tese seria: O trote causa, entre outras coisas -morte-, o incentivo à violência. Você precisa apresentar argumentos, convincentes aliás, que comprove isso daqui pra frente, veremos...]
Ignorantemente , para os veteranos o trote não é visto como um ato de violência, fala-se até em "trote camarada" (aspas para ironia),porém é grotesco pensar dessa forma (Por quê? agora desenvolva esse tópico frasal).Muitos Jovens são obrigados a fazerem o que não querem e são expostos ao ridículo (esse é um bom argumento, você deveria ter explorado mais: recentemente na USP Ribeirão estudantes calouras de direito foram obrigadas a fazer um juramento no qual elas se autodenominavam vagabundas, além de prometerem "exclusividade" sexual para os veteranos. Inúmeros casos poderiam entrar aqui como exemplo e desenvolvimento: As meninas de Agronomia da UnB que tiveram que simular sexo oral em uma linguiça, o célebre caso do estudante de medicina da USP que morreu afogado no trote - esse em particular reforçaria muito sua introdução que faz referência às últimas consequências da violência no trote). Infelizmente, esse comportamento anti social (será?Uma coisa não se pode negar: o trote é um meio de socialização, mesmo que nessa relação tenhamos um malefício para uma das partes. Por exemplo, o parasitismo é uma mecanismo de relação interespecífica, embora extremamente prejudicial para alguém, não deixa de ser uma relação. Além disso, não se esqueça que vivemos em uma sociedade violenta, reprimida, escondida por de trás dos muros altos e grades...) deveria ser associado como bullying e não como uma diversão (com certeza quem está sendo humilhado não está se divertindo...).
Outro ponto importante a destacar é as falhas que muitas faculdades têm ao respeito dessa problemática. Algumas proíbem o trote dentro da universidade, mas a fiscalização do lado de fora deixa a desejar, não há preocupação em impedir essa cenas de covardia (Repara, existe uma preocupação, mesmo que mínima, das universidades, tanto que elas proibiram os trotes dentro delas. Viu? Seria melhor remodelar esse trecho de uma forma semelhante a essa: Embora sejam proibidos dentro da universidade, a maioria dos trotes ocorrem fora dela - o que torna a própria fiscalização deficiente, talvez não seja tão fácil fiscalizar todos os estudantes, todos os calouros, em todos os lugares, como seu texto insinua com a seguinte frase=>). Há um descaso muito grande por parte dessas instituições. ( A criação de centrais de denúncias e a tomada de medidas efetivas contra os agressores, alinhada com o apoio dos demais estudantes e principalmente das vítimas dos trotes violentos, é o caminho mais lúcido para uma argumentação mais "real").

Para agravar a situação, os jovens agressores não são punidos,isso porque as pessoas agredidas se restringem a abrirem processos contra estes. (tópico frasal que não foi desenvolvido) Tal fato tem permitido novas vítimas, que sofrem com a prática cada vez mais assustadoras desse grupo.

É inaceitável (sem vírgula aqui)a justificação do trote. Torna-se evidente, portanto, a necessidade de punição e fiscalização contra esse hábito. A violência não pode ser justificada e sim combatida.Com a pressão da sociedade esse quadro negro poderá ser revertido sem mais destruição de vidas.


Bom, Infelizmente, o seu texto não está muito bom...Mas tenta refazê-lo! Vou deixar umas ideias ao vento para você catar, aproveitar, ou não...

" O trote é o reflexo de uma sociedade violenta, talvez até mesmo uma extensão do bullying no ensino superior"

"Intentona das universidades de promover o trote solidário, que é tido por muitos como o melhor caminho para combater a violência contra os calouros"

"O ciclo vicioso que nele está contido: o calouro que sofre no primeiro ano será o veterano com "sentimento revanchista" no segundo ano"

" A tradição nasceu na idade média, onde o corte do cabelo, das unhas, eram mais uma questão de higiene, um rito de passagem para uma vida fora das condições degradantes da população naquela época. Contudo, já no seu engatinhar agregou-se ao ritual o sentimento de martírio: o sofrimento proporcional ao merecimento."

Bom, tem tantas outras reflexões que podem ser feita. Mas em especial, eu acredito que para te dar uma luz você poderia utilizar essa última. Enfim, a partir dela você poderia dissertar sobre a passagem de tempo do trote chegando até os dias atuais, fazendo um paralelo com o retrocesso desses atos de violência que não condizem com a sociedade contemporânea... Agora é com você...

Um beijo

Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum