Flor do Lácio
BEM VINDO


Cadastre-se em nosso fórum e tenha sua redação corrigida pelos membros.
Flor do Lácio

Espaço criado com intuito de ajudar aos membros produzirem redações de excelência.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

As guerras no cenário internacional

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Re: As guerras no cenário internacional em Dom Nov 20, 2011 7:16 pm

evair

avatar
Membros
e lá vamos nós garotão!
Guerra e paz


Questões políticas, econômicas e sociais são motivos de desencadeamento de conflitos no mundo, como nas (?) primeira e segunda guerra mundiais [não sei se essa concordância está correta, não sou excelente em gramática, mas na dúvida eu mudaria para: como nas duas guerras mundias; como na primeira e segunda guerra mundial; como na primeira e segunda guerra mundiais; eu tava vendo minha apostila: Quando dois ou mais ordinais vêm antes de um substantivo, determinando-o, este concorda com o mais próximo ou vai para o plural, exemplo: A primeira e a segunda lição// A primeira e a segunda lições. Vou ver se esta forma (que você escreveu) está correta, se você souber me dá um toque também, fiquei na dúvida Wink]. De modo que no pós-guerra as nações conflitantes encontram dificuldades para se reerguerem financeiramente devido aos gastos com armamentos e reconstrução do país, por exemplo. Tese: as guerras trazem muitos prejuízos paras as nações envolvidas


A guerra pode ser uma via de democratização, como na Líbia. [Falta um conectivo aqui, eu sei que Kadafi era o ditador da Líbia mas nem sempre as pessoas ligam o nome a pessoa, primeiro porque esse movimento árabe a primeira vista foi meio conturbado e repentino, além disso não é difícil ver pessoas confundindo kadafi-mubarak-tunísia, alias, tem gente que coloca até israel-palestina no meio, que não tem nada a ver com essa história; segundo porque a mudança de período ficou muito brusca. Se você começar o segundo período ligando: kadafi á líbia e, por seguinte, ao fatos, já resolveria]. Kadafi foi morto por um grupo de rebeldes que não aceitavam as suas ações ditatoriais [ultimamente não tenho visto muito o noticiário, infelizmente, mas essa informação procede? porque da última vez que li/vi algo sobre isso ainda estava em andamento a investigação sobre as circunstâncias da morte, a análise do vídeo que ele aparece e tal, pois tem todo um processo, uma burocracia, crime de guerra e blablabla...Bom, minha opinião pessoal: É ÓBVIO que ele foi assassinado, mas é aquela velha história... igual na morte da Amy: esperamos o laudo oficial mesmo conhecendo o histórico da nega]. Da mesma forma, o povo afegão pode ser livre da opressão imposta pelo grupo "Taleban", devido as intervenções americanas nesse país. [Aqui, você transformaria esse último período em um forte argumento para sua tese (lembre-se sempre dela) se mencionasse os resultados dessa invasão: instabilidade política, baixa de civis ( alias, outro dia li alguma coisa sobre a guerra Israel x Palestina onde mencionava que, diferentemente do período das grandes guerras, as maiores baixas são de civis e não de militares), isso aconteceu com o Iraque também, enfim, faz-se necessário a vinculação da ideia que a guerra (mesmo com fins ditos "dignos") não se justificam devido os meios]


Se por um lado a guerra pode trazer a pacificação [será? países que entram em guerras dificilmente saem delas pacificados, em geral, precisam de ajuda para se reestruturarem como você defende na tese. Estamos habituados a estudar e ligar guerra aos conflitos envolvendo os países ricos- o que dá a impressão que os conflitos não afetam tanto a economia. Em parte é verdade, por serem mais ricos se erguem mais rapidamente, porém, atualmente as maiores e terríveis guerras estão acontecendo nos países pobres- o melhor exemplo: Darfur- intensa guerra civil que dizima milhares de pessoas e cria milhões de refugiados, o Sudão não é mais um país, virou um território de terror e dominação de milícias, e dificilmente será um tão cedo. As guerrilhas, Farc e dos traficantes na américa do sul, as milícias, nos conflitos tribais na Africa, entre outros tantos exemplos ricos que você pode explorar e usar como regra de que guerra dificilmente traz "paz". Agora em seguida você segue o mesmo raciocínio que acabei de explanar mas veja que na leitura conjunta parece paradoxal o que você escreve .] por outro ela acarreta grandes prejuízos sociais, como a dizimação de parte da população. Além disso, após o conflito, uma crise financeira pode se instalar tanto na nação vencendora quanto na perdedora, por conta dos investimentos financeiros aplicados, por exemplo, na aquisição ou
desenvolvimento de tecnologias para a guerra. [ Outro paradoxo, dizem que a aquisição de tecnologia - seu desenvolvimento, é um dos poucos benefícios que a guerra proporciona - pois, geralmente são tecnologias que são recicladas para outros fins. No meu primeiro ano de cursinho, eu tive um professor de geografia que disse uma frase que nunca mais esqueci: " A guerra quando se estende torna-se uma luta por matéria-prima, vence quem tem mais resistência", logo (preciso buscar dados absolutos, mas acredito que) o maior custo de uma guerra é com energia, recursos naturais e produtos bélicos. Por exemplo, a URSS sucumbiu, entre outras razões, justamente devido a produção de armas, apesar dos desenvolvimento de novas tec., o que pegou mesmo foi na indústria: produção de armas, balas, botas ao invés da comida.]
Logo, os países devem evitar a utilização da guerra [seja para] fins pacíficos, políticos ou econômicos, pois várias pessoas perdem a vida nesses embates. A situação conflitante precisa ser solucionada inicialmente por meio das vias diplomáticas, sempre com a intermediação da ONU (essa intervenção da ONU foi pouco trabalhada no texto, talvez se acrescentar uma oração colocando que o papel da ONU é manter a paz entre os países já contextualiza. Apesar que a ONU - principalmente a banca de Segurança, é muito frágil- diria até ineficiente- quando diz respeito as guerras de interesse dos países que fazem parte do Conselho de Segurança , até hoje nenhuma sanção contra Israel ou represaria contra as intervenções sem "razão" dos EUA; Tem um assunto muito em pauta nesses últimos anos que é a reforma do conselho de segurança, inclusive o Brasil reivindica uma cadeira permanente, é por essas e outras que é o exercito brasileiro que lidera a reestruturação do Haiti. A cruz vermelha e outras organizações e ordens ligadas à ONU que atuam como pacificadores de guerra na Africa, além de ajudar refugiados, são bons pontos que podem te ajudar a estruturar melhor a ideia de contenção de novas guerras, e principalmente, o fim das atuais - que são muitas e que tão rolando a muito).




Você escreve muito bem, seu texto está ótimo. As dicas postadas aqui tem o objetivo de te ajudar a explorar melhor o tema, visto que não tem erros gramaticais e tem boa coesão e conexão entre parágrafos. Quando o tema é algo tão amplo, como guerra, é bom fazer uma linha de raciocínio, e ir partindo de algo mais amplo e ir ceifando até uma ponto mais específico, como se fosse uma pirâmide invertida. Partindo das grandes guerras => conflitos de região => guerras civis => determinado conflito, exemplificando e reforçando todo seu pensamento..., por exemplo. É isso, se quiser acrescentar alguma coisa ou contestar, estamos aqui pra isso..
Abração

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum